Quem é a juventude dos tempos atuais?
Quem é a juventude dos tempos atuais?

Quem é a juventude dos tempos atuais?

Em: 12/02/2022

Por: comunicacao

Categorias: Vocacional Blog


Um questionamento que sempre será relevante para ser feito por cada pessoa, em cada tempo é: “Quem é a juventude de hoje?”. Afinal,  os jovens sempre foram alvo de esperança e de cobrança por parte da sociedade, que sempre depositou neles a responsabilidade com a construção de um futuro melhor.

Porém, a verdade é que os jovens sempre se adaptaram muito melhor às mudanças próprias de cada tempo. Eles sempre tiveram protagonismo e participação ativa nos momentos mais importantes da história, no qual os vemos pouquíssimos momentos apagados ou excluídos dos acontecimentos.

Uma juventude para cada geração

Os padrões culturais de cada década são fatores determinantes na formação da identidade da juventude. Porém, cada nova época, produziu sua própria geração de jovens, com características e comportamentos próprios do seu contexto atual.

As gerações podem nos ajudar nessa compreensão, pois dizem respeito a um determinado período de anos. A partir de meados do século XX até os dias de hoje, temos as seguintes gerações:

  • Baby Boomers: nascidos entre 1940 e 1960
  • X: nascidos entre 1960 e 1980
  • Y (millennials): nascidos entre 1980 e 1995
  • Z: nascidos entre 1995 e 2010
  • Alpha: nascidos a partir de 2010
  • Alguns estudiosos começam a falar da Geração C de nascido entre 2016 e 2030 (Geração Covid-19)

Em cada nova geração, uma nova cabeça e uma nova forma de pensar. Entretanto, tudo  em uma velocidade bastante acelerada. Por isso, a juventude da Geração Z já começa a achar que os jovens millennials estão ultrapassados, chamando-os de “cringe”, expressão que traduzida ao pé da letra quer dizer “algo vergonhoso”.

Entendendo os jovens de hoje

O poder de adaptação e a capacidade de mudar, tal qual o comprometimento com o bem e com causas revolucionárias, sempre serão uma marca presente ao longo das futuras gerações, como são no presente e foram no passado. Afinal, jovens gostam de viver a vida de forma dinâmica, buscando sempre novidades e deixando para trás o que está ultrapassado.

Desse modo, estão sempre empenhados com lutas que defendem o bem e causas revolucionárias que desafiam os paradigmas atuais. Por isso, em pleno século XXI, nossa juventude vive em um mundo imerso na era digital e nas telas, no entanto é possível ver além das telas. Afinal, ps jovens continuam tendo dentro de si, a chama do desejo de mudanças e de construção de um mundo melhor e mais justo.

Diante de todo contexto de isolamento social da pandemia, os jovens permanecem empenhados em fazer algo para mudar o mundo. Afinal, quantos jovens profissionais da área da saúde não se dedicaram ainda mais arduamente em seus trabalhos durante a pandemia? E os que se dispuseram voluntariamente em projetos sociais durante este período tão triste da humanidade? Fora os que frequentam igrejas e se uniram para oferecer alimentos e cuidados sanitários a pessoas em situação de risco nas ruas, oferecendo comida, máscaras e álcool em gel?

Quem é a juventude no coração?

O coração da juventude perpassa as gerações e permanece sempre desejoso de radicalidade, de descobrir qual a sua missão e o seu lugar no tempo e na história.

Quantos jovens fizeram diferença no passado por meio da descoberta de suas vocações? João Bosco, Domingos Sávio, Alexandrina de Balazar e tantos outros descobriram seu lugar na história e hoje são grandes santos da Igreja.

Por isso, precisamos acreditar na força transformadora que a juventude atual tem dentro de si, oferecendo todo apoio humano, mental e espiritual necessário. A fim de que, como disse São João Paulo II: “Façam pegar fogo o mundo inteiro”.

Comentar